MIDIALAB

Ensino e pesquisa em mídias digitais e educação

  • CONTEÚDO

    O conteúdo deste blog está organizado em seis categorias: TEORIA (resumos, traduções e comentários de textos de outros autores); PRÁTICA (relatos de experiências que eu conheci de outro lugar), MINHA PESQUISA (registro da pesquisa que atualmente desenvolvo na USC com apoio da Fapesp), EXPERIÊNCIA INGLESA (relatos de políticas, pesquisas e experiências no campo da mídia, cultura e educação desenvolvidas naquele país) e NOTÍCIAS. Há também uma categoria com textos em inglês sobre mídia-educação no Brasil.
  • NAVEGUE

  • mais acessados

    • Nenhum
  • janeiro 2008
    S T Q Q S S D
        fev »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  

HISTÓRIA DA PALAVRA “COMUNICAÇÃO”

Posted by alexandrabujokas em janeiro 5, 2008

Raymmond Willians é considerado um dos fundadores dos Estudos Culturais Britânicos. Ele é autor do livro “Key Words”, no qual reúne definições históricas de palavras importantes usadas nas ciências sociais. Publico aqui uma tradução que fiz da palavra “comunicação”:

Comunicação, no sentido moderno mais geral, tem sido usado desde o século 15 (…): fazer comum para muitos, conceder. Comunicação era a primeira ação e, depois, o objeto feito comum. Mas, a partir do século 17, surgiu uma importante extensão para o termo comunicação, especificamente em frases como linhas de comunicação. No principal período de desenvolvimento de estradas, canais aquáticos e ferrovias, comunicação era o termo geral abstrato para descrever essas instalações físicas. No século 20, com o desenvolvimento de outros meios de passar informação e fazer contato social é que o termo comunicação talvez tenha se tornado predominantemente um sinônimo para mídia, como imprensa e radiodifusão (esse uso surgiu nos Estados Unidos antes da Inglaterra). A indústria da comunicação, como é agora chamada, é, assim, distinta da indústria dos transportes: comunicação para informaçã e idéias na imprensa e na radiodifusão; transporte para o desolocamento de pessoas e bens.

Na controvérsia sobre sistemas de comunicação e teoria da comunicação é geralmente útil recuperar o não-resolvido conjunto do nome para a ação, representado nos seus extremos por transmitir (um processo de uma só via) e compartilhar (comunhão e comungante), um processo mutual. Os sentidos intermediários (fazer comum para muitos e divulgar) pode ser lido nas duas direções e a escolha da direção é geralmente crucial. Conseqüentemente, há a tentativa de generalizar a distinção em frases contrastantes como comunicação manipulativa e comunicação participatória.

KEY WORDS – A vocabulary of culture and society

Raymond Williams (Londres, editora Fontana Press, 1988)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: